Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Morre o ex-presidente do TJMS, Rêmolo Letteriello, de leucemia

Magistrado morreu em casa, após dois anos lutando contra a doença

©REPRODUÇÃO
Morreu neste sábado (3), em decorrência de leucemia o desembargador aposentado e presidente do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) Rêmolo Letteriello. O magistrado faleceu em casa, acompanhado de familiares, depois de dois anos lutando contra a doença.

Mesmo aposentado, Rêmolo estava advogando e trabalhando com mediação, tendo alcançado grande destaque na área, o que o levou a ser palestrante em outros países da América Latina. O advogado exerceu a advocacia em Campo Grande de 1966 a 1976. Ingressou na magistratura e judicou por 35 anos (1976 a 2011). Presidiu o Tribunal de Justiça de MS, o Tribunal Regional Eleitoral e a Amamsul (Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul).

O desembargador Carlos Eduardo Contar, presidente do TJMS, destacou que Letteriello foi um dos grandes nomes da justiça de MS (Mato Grosso do Sul). Ele lembrou que Rêmolo implantou o Juizado Especial no Estado, de forma pioneira no Brasil e na administração no TJMS construiu o anexo que abriga os Gabinetes dos Desembargadores, além de implantar uma série de inovações.

“O desembargador Rêmolo, quando aposentado, dedicou-se a Academia Sul-mato-grossense de Letras, viabilizando a construção de sua sede própria e continuava trabalhando com conciliação e medição na câmara privada. Foi líder e representante digno da magistratura brasileira, destacando-se nacionalmente. Culto, doutrinador, autor de livros, orador de escol, trabalhador e combativo. Integrou lista tríplice ao STJ, ocasião em que foi escolhido o Ministro Luiz Fux, hoje Presidente do STF”, disse o desembargador Contar.

O presidente da Amansul, Giuliano Máximo Martins, ressaltou que Rêmolo Letteriello foi o primeiro presidente eleito da associação e era um grande líder, além de ser profissional muito respeitado, pessoa atenciosa e comprometida com a vida pública.

“O desembargador Rêmolo era um dos ícones da magistratura e sua partida é uma tristeza muito grande. Fica o reconhecimento da AMAMSUL por tudo o que ele fez pela magistratura e pelo Poder Judiciário deste estado. Ele certamente fará muita falta”, afirmou Giuliano. O velório será realizado no Tribunal de Justiça, em horário e data a ser confirmado pela família. Rêmolo Letteriello deixa a esposa Regina, filhas e netos.

OAB - A seccional da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil), também lamentou a perda do magistrado. “Advogado e Desembargador Rêmolo Letteriello que prestou relevantes serviços, tanto para a magistratura como advocacia. Uma pessoa que honrou a toga, assim como a beca. Fazia parte de um grupo de mediação de conflito que abriu caminho importantíssimo para o segmento da advocacia. Sua perda deixa um vácuo muito grande”, comentou o presidente da OAB/MS, Mansour Elias Karmouche.

O Conselheiro Federal e Vice-Presidente da ENA (Escola Nacional da Advocacia), Luís Claudio Alves Bito Pereira também externou pêsames pela perda relembrando o início da carreira e o convívio com o colega. “Um dia triste para toda comunidade jurídica de Mato Grande do Sul. Desembargador Rêmolo Leteriello foi um magistrado vocacionado, íntegro, de princípios dignos de aplausos. Quando fui Presidente da Comissão do Jovem Advogado no início da minha profissão, doutor Rêmolo, com a generosidade própria do grandes homens, sempre esteve à disposição dos nossos trabalhos ajudando aqueles que começavam na advocacia. Depois de sua aposentadoria, Dr Rêmolo foi meu colega de escritório. Guardarei para sempre a imagem de um amigo admirável que muito me ensinou. Descanse em paz meu fraterno amigo. Meus sinceros sentimentos a todos familiares”, lamentou.

Por Adriano Fernandes

***
Tecnologia do Blogger.