Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Deputado Pedro Kemp cobra aplicação de R$ 2 milhões em recursos parados para a assistência social

Recursos são para atender famílias em situação de vulnerabilidade social que, segundo Kemp, estão parados na conta municipal

deputado Pedro Kemp (PT) ©ARQUIVO
O deputado Pedro Kemp (PT) utilizou a fala durante sessão virtual desta quarta-feira (12) para cobrar da Prefeitura de Campo Grande a destinação de R$ 2 milhões em recursos para atender famílias em situação de vulnerabilidade social que, segundo ele, estão parados na conta municipal. O valor teria sido disponibilizado pelo Governo Federal para a Assistência Social do município, como auxílio durante a pandemia do coronavírus.

“Porém o recurso caiu na conta e até março desse ano não tinha sido gasto R$ 1,00. A gente fica perguntando o que o município vai fazer com esse dinheiro. Será que está aguardando uma situação futura de extrema calamidade? Queria saber qual é a razão de não ter utilizado”, questionou Kemp.

O parlamentar comentou que frequentemente é procurado para conceder auxílios e que encaminha todos para os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), mas que as pessoas voltam à sua procura dizendo que os locais não estão mais distribuindo cestas básicas.

“Tem muita gente desempregada, passando fome. Sabemos que é dever do poder público implementar uma política de assistência social para socorrer as pessoas em vulnerabilidade social. Dever do estado e direito do cidadão se atendido. Então segue requerimento à Secretaria de Assistência Social solicitando informações, de quais são os programas implantados para atender essas famílias em situação e vulnerabilidade e insegurança alimentar e qual informação devemos repassar, com vistas a ter acesso a eles. E também quero saber qual valor foi gasto e a destinação desse recurso parado. Precisamos dessas informações”, ressaltou Kemp.

O líder da oposição ainda aproveitou a oportunidade para reiterar que em âmbito estadual está sendo implementado o Programa Mais Social, aprovado pela Assembleia Legislativa, que destinará recursos para a assistência social – saiba mais aqui. O presidente Paulo Corrêa (PSDB) reforçou que o programa deve atender, com R$ 200, mais de 100 mil famílias no estado e que em breve será implementado. “Será um cartão que possibilitará a pessoa comprar em qualquer armazém. O Governo leva um tempo ainda para implementar isso, mas com certeza vai ser um sucesso”, destacou.

Professor Rinaldo (PSDB) também comemorou o programa do Governo do Estado e criticou o município de Campo Grande, quanto a suposta falta de atendimento no âmbito da Assistência Social. “Vi o próprio prefeito tendo que ir entregar cesta básica na favela, doadas por empresários, como se não tivesse a Secretaria de Assistência Social. Aliás, nem deveria ter favela na cidade”, finalizou.

Por: Fernanda Kintschner

***
Tecnologia do Blogger.