Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

CAPITAL| Segunda etapa da revitalização no centro da Cidade começa após Dia das Mães

Prefeitura quer evitar interdições totais de vias e pretende divulgar cronogramas semanais para comerciantes

Na Rua Dom Aquino, além de recapeamento da via, a calçada será ampliada ©REPRODUÇÃO
Mesmo durante a pandemia, a nova etapa de obras para revitalização na região central de Campo Grande deve começar. A previsão de início é para depois do Dias da Mães, celebrado no dia 9 de maio neste ano.

O projeto é continuação do Reviva Centro, iniciado com as intervenções na Rua 14 de Julho, finalizadas no final de 2019. Desta vez, passaram por obras ruas adjacentes do quadrilátero principal da região.

Em transmissão ao vivo, realizada na tarde desta quarta-feira, para apresentar o plano de execução, a subsecretaria de gestão e projetos estratégicos, Catiana Sabadim, explicou que as intervenções serão mais simples e será possível evitar interdições totais das vias. “Haverá escavações pontuais para resolver problemas de drenagem. Mas são obras mais rápidas em que pretendemos manter a pista de carros abertas”, explicou.

A própria data de início das obras foi pensada para não impactar nos lucros do comércio. Cronogramas semanais e mensais também devem ser divulgados para os comerciantes se planejarem, caso haja obras nos trechos em que atuam.

Obras - Mais de 100 quadras (21 quilômetros de via) serão requalificados na etapa e envolvem as principais ruas do quadrilátero da Avenida Fernando Correa da Costa, Rua Calógeras, Avenida Mato Grosso e Rua 25 de Dezembro.

A etapa abrange dois lotes. Um será de responsabilidade da empresa Engepar, mesmo que executou as obras na Rua 14 de Julho, e outra pela empreiteira DP Barros, de São Paulo. Elas terão 150 dias para finalizar as obras.

Padronização das calçadas está entre as melhorias planejadas. Apenas na Rua Dom Aquino parte da via pública será ampliada. As principais intervenções se referem as obras de acessibilidade universal, recapeamento e microdrenagem.

Também será executado projeto de arborização e paisagismo. “A ideia é que o centro se torne um bairro verde”, destacou Sabadim. Haverá ainda instalação de lâmpadas de LED, semaforização inteligente e implantação de câmeras de videomonitoramento.

Pelos trechos não contarem com embutimentos de fiação, como foi feito na 14, também ajuda na implantação do projeto com menos transtornos. Haverá remanejamento da rede elétrica e telefônica, além de reorganização dos fios aéreos que serão feitas pelas concessionárias responsáveis.
Calçadas serão padronizadas como mostra o projeto previsto para a Rua Dom Aquino com a 13 de Maio ©REPRODUÇÃO
Mobilidade – Apesar de disponibilizar bicicletários nas ruas a serem revitalizadas, a implantação de ciclofaixas será feita apenas em trechos da Rua Calógeras e da Avenida Mato Grosso.

Melhorias em relação a mobilidade envolvem também a implantação de corredor de ônibus na Rua Rui Barbosa em uma extensão de mais de 7 quilômetros. A via terá semaforização inteligente, acessibilidade, wifi gratuito, câmeras de vídeo-monitoramento, estações de embarque e desembarque, entre outras melhorias. Este projeto, no entanto, será executado apenas no segundo semestre deste anos.

Custos – Os investimentos no Viva Campo Grande II envolvem US$ 112 milhões, sendo metade do BID (Bancos Interamericano do Desenvolvimento) e outra metade de contrapartida de recursos municipais, estaduais e federais.

O conjunto de ações visa promover a requalificação urbana na área Central de Campo Grande, incentivando a ocupação de terrenos e edificações mediante a melhoria da infraestrutura e dos espaços públicos; da eficiência do sistema de transporte coletivo e acessibilidade; fortalecendo a capacidade de planejamento e mobilidade urbana. 

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS
Por: Tainá Jara

***
Tecnologia do Blogger.