Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Manifestantes fazem carreata em Campo Grande contra medidas restritivas

Entre as reivindicações da manifestação estavam: redução do imposto sobre combustíveis; reabertura do varejo; inclusão de academias de ginástica como atividade essencial e reabertura de bares e restaurantes até meia noite.

Concentração para carreata em Campo Grande nesta quinta-feira ©Redes Sociais/Reprodução
Manifestantes fizeram na manhã desta quinta-feira (25) uma carreta em Campo Grande. O movimento foi organizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), empresários de vários segmentos, empreendedores e motoristas de aplicativo.

Entre as reivindicações da manifestação estavam: redução do imposto sobre combustíveis; reabertura do varejo; inclusão de academias de ginástica como atividade essencial e reabertura de bares e restaurantes até meia noite.

A concentração começou às 8h próximo ao parque das Nações Indígenas. Depois, os manifestantes passaram na frente de vários prédios públicos, como Governadoria, Assembleia Legislativa e prefeitura. No caminho buzinavam e defendiam suas reivindicações.

Segundo estimativa do Batalhão da Polícia Militar de Trânsito (BPMTran), cerca de 4 mil veículos participaram da carreata.

Restrições

Desde segunda-feira está em vigor em Campo Grande decreto que antecipou quatro feriados municipais e determinou o funcionamento na cidade neste período apenas de serviços considerados essenciais, como medida para tentar reduzir o avanço da pandemia de Covid-19.

Nesta quarta-feira, o governo do estado publicou decreto que determina medidas restritivas em todos os 79 municípios do estado entre está sexta-feira, dia 26 de março e o dia 4 de abril.

O decreto prevê que aos fins de semana das 16h às 5h, somente serviços essências poderão funcionar. De segunda a sexta-feira, o toque de recolher será mantido das 20h às 05h.

O estado listou 45 serviços como essenciais, o que permite o funcionamento. O comércio só pode funcionar nas modalidades delivery e drive thru. Os bancos só podem atender presencialmente para pagamentos de benefícios do INSS. As escolas só podem funcionar de forma remota.

Academias e clubes não podem funcionar. Atividades religiosas não podem ter aglomeração e precisam seguir as medidas de biossegurança. Todos os serviços permitidos precisam obedecer ao limite de 50% da capacidade, distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas.

O decreto reiterou a obrigação de uso de máscaras de proteção individual para circulação no território sul-mato-grossense. E colocou o telefone 190, da Polícia Militar, como fonte de recebimento de denúncias de descumprimento do decreto.

Por G1 MS


***
Tecnologia do Blogger.