Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Mais de 800 empresas são atendidas pelo Brasil Mais e inscrições estão abertas para novo ciclo

Programa, subsidiado pelo Sebrae, está com inscrições abertas até quarta-feira (3) em Mato Grosso do Sul

©DIVULGAÇÃO
Diminuir o desperdício e melhorar a organização. Com essas duas soluções, as irmãs Lívia, de 34 anos, e Grazieli Minini, de 33, conseguiram reduzir os custos das duas empresas que gerenciam junto com a família, em Três Lagoas (MS). Com o foco em veículos pesados, as duas administram uma oficina mecânica e uma loja de autopeças que juntas formam o Posto de Molas Contramão. A melhoria nos empreendimentos veio a partir de novembro de 2020, por meio do programa Brasil Mais, que visa aumentar a produtividade das empresas brasileiras.

Por meio do Brasil Mais, as empresas selecionadas recebem o acompanhamento de Agentes Locais de Inovação (ALI), que auxiliam no aprendizado das melhores práticas produtivas e gerenciais. “Nós sabíamos que era possível reduzir custos, mas não sabíamos o que fazer. Então, levamos algumas situações para a agente. Ela pensou junto conosco e conseguiu nos ajudar a implementar os processos necessários”, pontuou Lívia.

Na oficina mecânica foi montada uma estratégia para evitar o desperdício de insumos, já na autopeças organizou-se uma forma eficiente de arrumar o estoque: “Acontecia muito de um mecânico não utilizar um produto todo e abrir outro, já em relação ao estoque, a desorganização fazia com que a gente comprasse itens que, muitas vezes, já tínhamos. Então, foram medidas simples, mas que nos ajudaram a gastar menos”, ressaltou a empresária.

As empresas de Lívia e Grazieli fazem parte dos 814 empreendimentos atendidos, em Mato Grosso do Sul, na primeira edição do programa Brasil Mais que se encerra no dia 5 deste mês. Ao fim do ciclo, empreendimentos de vários setores diferentes conseguiram aumentar a produtividade e a competitividade a partir de melhorias rápidas e de baixo custo.

Na área de aromatizadores e decoração de interiores, por exemplo, a empresa de Viviane Carvalho, de 44 anos, foi uma das que alcançou um resultado satisfatório em Três Lagoas. “Receber a consultoria foi um divisor de águas para a minha empresa e permitiu ao meu negócio se tornar profissional. A partir dela, implementei um sistema gerencial para o controle de estoque e fluxo de caixa e posso acessá-lo de qualquer lugar. Depois, identifiquei que era possível contratar uma pessoa. Faz um mês que tenho um funcionário e, com isso, pude me dedicar em outros aspectos. Ampliei o hall de produtos disponíveis e agora presto até consultoria de decoração para os clientes”, comemorou.

De acordo com a empresária, as mudanças proporcionadas pelo Brasil Mais trouxeram a possibilidade de planejar os próximos passos do negócio. A partir da consultoria, Viviane percebeu que é possível expandir. “Abri meu horizonte e vi que é possível. Antes, eu já tinha pensado até em fechar as portas, agora não. Mudei o plano. Não quero só aumentar as vendas, mas ampliar a minha loja ou até mesmo abrir uma nova unidade”, ressaltou a empreendedora.

Novas vagas para o Brasil Mais

Empresas interessadas em melhorar o desempenho a partir da consultoria oferecida pelo Brasil Mais, podem se inscrever para participar do segundo ciclo do programa até esta quarta-feira (3), por meio do portal brasilmais.economia.gov.br. A iniciativa é do Ministério da Economia, em parceria com Sebrae, Senai e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial e atende exclusivamente microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP).

Neste ciclo, 1.100 empreendimentos serão selecionados para receberem acompanhamento dos Agentes Locais de Inovação. De acordo com a analista técnica do Sebrae/MS e gestora do programa Brasil Mais na Costa Leste de Mato Grosso do Sul, Ana Flávia Arrais, a consultoria vai ensinar as melhores práticas produtivas e gerenciais para o empreendedor a partir do ponto a ser melhorado em cada empresa.

“A autoavaliação é o primeiro passo para que o empresário inicie a jornada rumo a maior produtividade. É fundamental que os participantes entendam as verdadeiras necessidades que possuem e busquem as soluções adequadas. Ele identifica o problema que prejudica a lucratividade e a partir disso é feito um planejamento das ações”, esclareceu Ana Flávia.

No período de quatro meses, o empresário possui nove encontros previstos, entre individuais e em grupo e todo este acompanhamento é subsidiado 100% pelo Sebrae. Segundo Ana Flávia, as reuniões coletivas favorecem a troca de experiências e permitem que os empreendedores cresçam juntos. Além disso, o envolvimento de cada empresário inscrito é fundamental para a melhoria do negócio: “O empreendedor tem que pôr a mão na massa, realmente, e se dedicar para que alcance os resultados esperados. É um trabalho em conjunto com o agente, mas que depende, principalmente, do envolvimento dele como gestor”.

Mais informações podem ser obtidas por meio do número 0800 570 0800.


ASSECOM

***
Tecnologia do Blogger.