Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

CAPITAL| Presidente Carlão reafirma contribuição da Câmara na luta contra a Covid-19 com aprovação de Campo Grande em consórcio para compra de vacinas

©DIVULGAÇÃO
Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande aprovaram, durante a sessão ordinária desta terça-feira (09), o projeto de lei 9.975/21, de autoria do Poder Executivo, que ratifica protocolo de intenções firmado entre municípios com a finalidade de adquirir vacinas para combate à pandemia do coronavírus. Na prática, a proposta garante a participação de Campo Grande no Conectar (Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras). O vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), presidente da Casa de Leis, reafirmou a contribuição dos vereadores na luta contra o vírus.

“A Câmara Municipal precisa dar uma reposta a sociedade sobre nossa união ao Executivo Municipal e Estadual contra a crise do Coronavírus. Tem muita gente sofrendo com a falta de leitos. A aprovação deste projeto para compra de vacinas é mais um paço que a Câmara está dando ao autorizar a Capital a integrar o Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras. Para ajudarmos na luta contra esse vírus que está assolando o mundo. Todos precisam ser vacinados, imunizados e se município puder comprar essas vacinas mais baratas, unindo mais de 1.700 municípios em todo país, estamos fazendo nossa parte. Unidos contra a Pandemia de Covid-19, vamos vencer essa luta mais rapidamente”, disse Carlão.

O Consórcio tem finalidade de contribuir para agilizar a imunização da população e também de atender eventuais demandas por medicamentos, equipamentos e insumos que sejam necessários aos serviços públicos municipais de saúde.

A proposta, analisada em turno único de discussão e votação, em regime de urgência, não impede aquisições diretas de nenhuma espécie. “Portanto, o Consórcio não interfere na autonomia dos Municípios. Pelo contrário, a reforça”, garante a Prefeitura.

“Na medida que reúne grande número de Municípios, que representam uma parcela considerável da população nacional, o Consórcio ora instituído, fortalece o poder local. Oportuniza acesso e imagem robusta nas relações internacionais, fundamentais para as negociações de vacinas, especialmente durante a pandemia”, justifica.

Por: Janaina Gaspar

***
Tecnologia do Blogger.