Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

CAPITAL| Presidente Carlão comemora aprovação do Projeto que cria Subsecretaria de Articulação Social e Assuntos Comunitários

Vereador Carlos Augusto Borges, (Carlão PSB) ©DIVULGAÇÃO
O vereador Carlos Augusto Borges, (Carlão PSB) presidente da Câmara Municipal de Campo Grande comemorou a aprovação do Projeto de Lei 9942/2021 de autoria do Executivo Municipal promovendo alterações na organização administrativa. Carlão é oriundo do movimento comunitário e destacou a criação da Subsecretaria de Articulação Social e Assuntos Comunitários. A proposta detalha que está inspirada na exigência de maior eficácia e efetividade da gestão das atividades do Poder Executivo. A retomada do desenvolvimento econômico e a inclusão social.

“Esse é um sonho antigo do movimento comunitário de Campo Grande, organizações como a Federação das Associações de Moradores do Estado Mato Grosso do Sul (FAMEMS), União Campo-grandense de Associações de Moradores em Favelas, Assentamentos e Núcleos Habitacionais (UCAF), União Municipal das Associações de Moradores (UMAM), União Campo-grandense Clube de Mães e Associações de MS (UCCM), entidades que sempre participei e que lutam muito por isso, inclusive a Confederação Nacional das Associações de Moradores (CONAM). Esse espaço no Poder Público é fundamental para atender as lideranças, ouvir as reivindicações com dotação orçamentária para reformas de Centros Comunitários, fazer as coisas necessárias nos bairros. E ter uma pessoa a frente dessa subsecretaria ligada a esse movimento, como ex-vereador Chiquinho Telles fortalece ainda mais as ações que vão ser implementadas”, disse o presidente, acrescentando o compromisso do Governo do Estado em implantar no próximo mês a Subsecretaria Estadual Comunitária.

Outra mudança aprovada foi a criação da Subsecretaria de Gestão e Projetos Estratégicos, a ser comandada por Catiana Sabadin (que antes era diretora no setor). As subsecretarias, além da de Direitos Humanos, ficam integradas ao Gabinete do Prefeito. Ainda, a proposta contempla a transformação da Diretoria Geral de Compras e Licitação em Secretaria-Executiva de Compras Governamentais; mudança na nomenclatura da Controladoria-Geral de Fiscalização e Transparência, que passa a se chamar Controladoria-Geral do Município.

Também na mensagem do Executivo na proposta consta que é preciso eliminar a dívida social que se avoluma com as demandas do cidadão campo-grandense. Para isso, justifica-se “resgatar e saldar essa dívida é o que dá sentido ao nosso segundo mandato, pois cada centavo economizado na reestruturação administrativa da Prefeitura Municipal de Campo Grande será direcionado à aplicação em programas e ações de retomada do desenvolvimento econômico da cidade, estagnado em razão da pandemia de Covid-19, e combate à exclusão social”.


Por: Janaina Gaspar

***
Tecnologia do Blogger.