Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Após um ano da pandemia no Brasil, Mato Grosso do Sul ultrapassa 180 mil casos confirmados de coronavírus

Em apenas 24 horas, Mato Grosso do Sul contabilizou 914 novos exames positivos para a Covid-19. Com isso, o Estado atinge a marca de 180.058 casos confirmados da doença, desde o início da pandemia. É o que mostra o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, do Governo do Estado, desta sexta-feira (26).

A marca no Estado é alcançada justamente no dia em que o Brasil registra um ano da primeira contaminação pelo vírus. De acordo com os dados do Ministério da Saúde, o país tem 10 milhões de casos confirmados e 251,5 mil óbitos pela doença.

Além disso, em apenas uma hora, 23 sul-mato-grossenses morreram pela doença, somando 3.293 óbitos. Em fevereiro, o Estado já registrou 345 mortes por coronavírus, segundo a SES.

Em recuperação, 8.032 pessoas estão em isolamento domiciliar e 594 internadas, sendo 307 em leitos clínicos (205 na rede pública e 102 na rede privada) e 287 em leitos de UTI (218 pelo SUS e 69 na rede privada). Até o momento, 168.139 pessoas estão recuperadas da doença.

Taxa de ocupação dos leitos

Na macrorregião de Campo Grande, a taxa de ocupação é de 86% na oferta global de leitos de UTI SUS; na macrorregião de Dourados é 94%, em Três Lagoas, de 74% e em Corumbá, de 66%.

Durante a live o secretário Geraldo Resende alertou que é preciso manter a vigilância em todos os sentidos, e afirmou que o aumento de indicadores como a taxa de ocupação de leitos é preocupante. "Nós não temos como ampliar leitos de UTI, nos faltam aquilo que é essencial que são os recursos humanos".

“Está faltando leitos também nos hospitais privados e filantrópicos da Capital. É preciso que aqueles que se aglomeram e não atendem nossos apelos diários, reflitam. Os hospitais de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Goiás estão também no seu limite máximo”, alertou o secretário de Saúde Geraldo Resende.

O secretário de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, apresentou o cenário atualizado do mapa do Programa Prosseguir, e reforçou a importância da união de esforços para enfrentar o momento de agravamento do cenário de pandemia.

“Como temos acompanhado nos processos de leitura diária informativo da grande imprensa mundial e nacional esse é o pior momento que estamos passando a nível de mortes e infectados. Essa terceira onda que está se aproximando nos preocupa muito, e nós precisamos estar atentos para não se repetir aqui o que está acontecendo no Mundo. Temos algumas alternativas, mas precisamos da colaboração de toda sociedade para que tenhamos êxito nos processos de biossegurança”, pontuou.

Confira o detalhamento do boletim epidemiológico desta sexta-feira, 26 de fevereiro aqui.




Por: Ana Brito e Mirelli Obando

***
Tecnologia do Blogger.