Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

ARTIGO| #SerGrato, para viver melhor!

Autor: Wilson Aquino*
Por maiores que sejam os danos provocados pelo vírus Covid-19 na sociedade brasileira e mundial, concordo plenamente com a opinião de Russell M. Nelson, presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, manifestada esta semana, num pronunciamento (mundial) intitulado: “O poder de cura da gratidão”, no qual afirma: “vejo a pandemia atual como apenas um dos muitos males que assolam nosso mundo, incluindo o ódio, a agitação civil, o racismo, a violência, a desonestidade e a falta de civilidade”.

As mudanças que ocorreram este ano na sociedade, como o ficar mais em casa, deveriam fortalecer mais sua célula mater, a família, mas isso não ocorreu. Pelo contrário, elevaram os índices de divórcios e separações. Como se não bastassem, aumentaram também a violência dentro do próprio lar, com o cônjuge e até namorados se agredindo e até se matando – como o assassinato brutal de nosso colega e amigo, chargista do Jornal O ESTADO, Marcos Borges, morto e esquartejada pela namorada - e brigas e espancamento de filhos, entre tantos outros casos lamentáveis.

No lar, no trânsito e no trabalho, o homem revelou sua impaciência e intolerância com as coisas mais banais, mais insignificantes. Qualquer coisa lhe tira do sério, provocando sua ira, seu ódio e consequentemente resultam em desentendimentos, brigas e até mortes.

O presidente Russell M. Nelson, homem inspirado e orientado por Deus, se levantou para conclamar o mundo a se voltar mais ao Senhor. Isto, não apenas para sermos salvos, no final, mas para que tenhamos dias muito melhores agora, mesmo em tempos difíceis como a pandemia. 

Para isso ele sugere que sejamos gratos a Deus por tudo o que somos e pelo que podemos ser. Gratos também por tudo o que temos e pelas incontáveis bênçãos recebidas a cada amanhecer.

Ele afirma que cientistas e pesquisadores qualificados estão trabalhando com diligência para desenvolver e distribuir uma vacina contra o coronavírus; mas garante que não há medicamentos ou cirurgias que possam curar as aflições e os males espirituais que enfrentamos.

No entanto “há um remédio – um remédio que pode parecer surpreendente porque contradiz nossas intuições naturais. Não obstante, os efeitos desse remédio têm sido validados por cientistas e por homens e mulheres de fé. Refiro-me ao poder de cura da gratidão”, afirma ele.

Russell M. Nelson lembra que o próprio Cristo nos deu exemplos disso quando expressava gratidão com frequência. Ele lembra que Jesus orou e rendeu graças a Deus antes de levantar Lázaro dentre os mortos, antes de milagrosamente multiplicar os pães e os peixes, e antes de passar o cálice a Seus discípulos na Última Ceia. Não é de admirar que o apóstolo Paulo tenha posteriormente declarado: “Em tudo dai graças”.

Em sua manifestação mundial, o líder religioso, que pediu para que as pessoas proliferassem a hashtag “#SerGrato”, de variadas formas, inclusive pelas mídias sociais, para que mais e mais pessoas refletissem sobre o assunto, faz a seguinte pergunta:

- Será que a gratidão nos poupa de sofrimento, tristezas, pesares e dores?

Ele mesmo responde:

- Não, mas ela ameniza nossos sentimentos. Ela nos proporciona uma perspectiva maior do propósito e da alegria da vida.

E para que ninguém pense que não tem pelo que agradecer, achando que não é abençoado, o líder religioso cita alguns motivos que todos temos para agradecer a Deus:

- Todos podemos ser gratos pelas belezas do mundo e pela majestade dos céus, que nos dão um vislumbre da imensidão da eternidade.

- Podemos ser gratos pelo dom da vida, por nosso corpo e nossa mente maravilhosos, que nos permitem crescer e aprender.

Acima de tudo, podemos ser gratos a Deus, o Pai de nosso espírito, que nos torna irmãos e irmãs. Uma grande família mundial.

*Jornalista, Professor e Cristão SUD

***
Tecnologia do Blogger.