Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Paraguai põe fim a quarentena após quase 7 meses, mas mantém fronteiras fechadas com o Brasil

País foi um dos primeiros da América Latina a implantar medidas restritivas por causa da pandemia do novo coronavírus 

Polícia paraguaia em fiscalização na faixa de fronteira — Foto: Martim Andrada/TV Morena

O Paraguai suspendeu a quarentena após quase 7 meses, o início foi no dia 10 de março. O país vizinho foi um dos primeiros da América Latina a implantar medidas restritivas por causa da pandemia do novo coronavírus. Entre março e maio, a população passou por um lockdown intenso, já nos meses seguintes o governo foi afrouxando as restrições.


A partir desta segunda-feira (5), o Paraguai terá apenas medidas pontuais, em locais onde ainda há muitos casos de Covid-19.


Apesar da suspensão do fim da quarentena, as fronteiras entre Paraguai e Brasil continuam fechadas. O ministério da Saúde, Júlio Mazzoneli, não deu uma data provável para a reabertura e disse por meio das redes sociais que as medidas de segurança precisam continuar sendo seguidas a risca pela população.


“É extremamente essencial seguir usando a máscara, manter o distanciamento, lavar as mãos e evitar as aglomerações [...] o vírus segue conosco e devemos apreender a conviver com ele”, afirmou.


De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, o país registrou 44.122 casos da doença e 929 mortes.

Paraguaio protestam e pedem a reabertura do fronteira do Paraguai com o Brasil. — Foto: Juan Alcaráz/Arquivo Pessoal

Fronteira fechada gerou prejuízos e protestos


O presidente da Câmara do Comércio de Pedro Juan Caballero, cidade vizinha a Ponta Porã (MS), Victor Hugo Barreto, disse que reabertura da fronteira é necessária para revitalizar a economia da região. Segundo ele, desde o início da pandemia, 5 mil pessoas foram demitidas e das 500 lojas e estabelecimentos, 200 fecharam as portas.


Protestos pedindo pela reabertura das fronteiras ocorrem com frequência desde o final de agosto. Em um deles, em Salto del Guairá, na fronteira com o Brasil em Mato Grosso do Sul reuniu cerca 300 pessoas em uma carreata que percorreu as principais ruas da cidade, vizinha a Mundo Novo (MS). Manifestações semelhantes também foram registrados em outras cidades fronteiriças com o Brasil.


Os manifestantes alegam estão cumprindo corretamente as restrições impostas pelo governo, mas que não podem mais suportar a situação de fechamento.


Por G1 MS e TV Morena


Tecnologia do Blogger.