Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Governo Bolsonaro culpa estados por tragédia no Pantanal

Secretário-adjunto de Segurança Nacional do Ministério da Justiça disse na Câmara que pedido de socorro demorou

Rooney Matsui, do Ministério da Justiça, que acusou estados de demorarem a pedir Força Nacional para combater fogo no Pantanal ©DIVULGAÇÃO

Ao falar da tragédia das queimadas em audiência de comissão da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (6), o secretário-adjunto Nacional de Segurança Pública, Rooney Matsui, alegou que os governos de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso demoraram a pedir ajuda da Força Nacional para combater os incêndios florestais.


O fogo, segundo o dado mais atualizado, já devastou 26% do bioma, chegando a área total destruída de 3,9 milhões de hectares.


Matsui também responsabilizou o STF (Supremo Tribunal Federal).


Há uma questão judicial que acabou tornando a questão não tão imediata, uma decisão de 24 de setembro, do plenário do STF, que impediu a ação unilateral da Força Nacional, ou seja, sem solicitação ou anuência do Estado", afirmou o secretário adjunto, segundo o jornal Folha de S.Paulo.


Sobre a demora por parte dos estados alegadas pelo secretário- adjunto disse que os pedidos para intervenção da Força Nacional foram feitos apenas nos dias 21 por Mato Grosso do Sul e no dia 28 pelo governo de Mato Grosso.


A partir de então, segundo disse, foi feita aproximação buscando diagnóstico da situação.


Os estados, por conta do início das chuvas, acreditaram que isso amenizaria os incêndios", disse Matsui.


O diagnóstico – O representante do governo Bolsonaro disse que a verificação indicou que havia problemas de logística no estados. “Precisavam principalmente de aeronaves, não somente de pessoal, para levar as equipes aos locais de incêndio, que eram em áreas remotas”, afirmou.


Segundo ele, apenas mandar pessoas não resolveria o problema. “Precisaríamos articular e conseguir apoio aéreo. Diante dessa situação, o Ministério da Justiça ficou de prontidão até que conseguimos fazer esse levantamento das necessidades", comentou.


Segundo a Folha de S. Paulo, o secretário de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, afirmou que 90% dos incêndios florestais se iniciam por ações humanas. De acordo com a fala dele, esses atos continuam mesmo com a situação agravante das queimadas.


"Durante a operação no mês de setembro, nós identificamos três flagrantes", disse o secretário. Ele repetiu a previsão de ciclo de cinco anos de estiagem severa.


Procurado pelo Campo Grande News para responder à acusação de demora no pedido de socorro, Verruck não atendeu às ligações telefônicas.


Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Por: Marta Ferreira

Tecnologia do Blogger.