Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Mato Grosso do Sul é o sexto estado mais competitivo do país

 

Estado figura entre os dez melhores do país em sete dos dez pilares do Ranking de Competitividade

"Percebemos um estado mais eficiente, com base para atrair investimentos e gerar mais emprego e renda", avalia Riedel ©Saul Schramm

O Estado de Mato Grosso do Sul continua em posição de destaque no Ranking de Competitividade, do Centro de Liderança Pública (CLP), divulgado nesta quinta-feira (17/09). O estado ocupa o sexto lugar no ranking geral e figura entre os dez melhores do país em Infraestrutura, Capital Humano, Sustentabilidade Social, Segurança Pública, Inovação, Sustentabilidade Ambiental e Potencial de Mercado.


Durante a apresentação nacional do ranking, o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Corrêa Riedel (representando o governador Reinaldo Azambuja), enfatizou que as iniciativas do governo de gerenciamento de recursos públicos e o cuidado com a saúde da população foram fundamentais para conquista dos resultados: “A responsabilidade fiscal é base e premissa para os nossos objetivos. Temos conseguido avançar de maneira objetiva em cada uma das áreas, mesmo diante da pandemia que nos trouxe uma série de desafios entre eles a oportunidade e a capacidade de estruturar o sistema de saúde de forma muito rápida. Por isso, não tivemos um cidadão sul-mato-grossense com problema de atendimento até o momento”.


Em comparação ao ano anterior, Mato Grosso do Sul avançou nos indicadores de Inovação (de 8º para o 5º lugar) e de Capital Humano (de 17º para 10º lugar). O estado se classificou entre os dez melhores do país em sete de um total de dez indicadores que compõem o ranking: Infraestrutura (6º), Sustentabilidade Social (7º), Segurança Pública (6º), Inovação (5º), Sustentabilidade Ambiental (9º) e Potencial de Mercado (8º lugar). Nos demais pilares Mato Grosso do Sul ficou em 10º em Capital Humano, 11º em Eficiência na Máquina Pública, 12º em Educação e 15º em Solidez Fiscal.


“A metodologia de gestão adotada pelo Governo do Estado resultou no avanço dos indicadores de competitividade e isso se mantém. A pandemia traz uma série de consequências, mas o Governo do Estado de MS ao adotar protocolos na iniciativa privada, desde o início, conseguiu manter as atividades econômicas”, salientou Riedel. Na sequência, o secretário ainda falou da importância do agronegócio na manutenção de empregos. “A atividade econômica não sofreu tanto, está vivendo um bom momento e opera com em baixa densidade demográfica. A nossa recuperação, em relação ao coronavírus, deverá ser mais rápida”.


Por fim, Riedel falou das ações do Governo desde o início do mandato. “Percebe-se um estado mais eficiente de maneira geral, com base para atrair investimentos, isso gera crescimento do PIB e, consequentemente, mais emprego e renda, inclusive para os mais jovens”.


Também participaram do lançamento da 9ª edição do Ranking de Competitividade os governadores de Alagoas, Renan Filho; do Maranhão, Flávio Dino; de Minas Gerais, Romeu Zema; do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; da Paraíba, João Azevedo; do Espírito Santo, Renato Casagrande e do Amazonas, Wilson Lima.


Mais informações e as notas de todos os estados podem ser conferidas no site www.rankingdecompetitividade.org.br.



Por: Ana Brito (Subcom) e Jéssika Machado (Segov).

Tecnologia do Blogger.