Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

CAPITAL| Central de Controle vai interligar repartições públicas de Campo Grande

 

©DIVULGAÇÃO

Com investimento de aproximadamente R$ 30 milhões, a Capital receberá, por meio do projeto Conecta Campo Grande, a implantação de 70 mil metros de rede de fibra ótica para a interligação das repartições públicas municipais, além da criação de uma Central de Controle Integrado, que vai garantir mais agilidade e eficiência na prestação de serviços aos cidadãos.


O contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal, por meio do Programa de Desenvolvimento Urbano (Pró-Cidades), foi assinado nessa quinta-feira (17) junto com outros projetos que, juntos, somam aproximadamente R$ 100 milhões em melhorias para a capital sul-mato-grossense nas áreas da tecnologia, infraestrutura urbana, esporte, turismo e cultura.


O diretor-presidente da Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação, Paulo Fernando Garcia Cardoso, explica que além dos planos de engenharia, um grande e moderno projeto na área de tecnologia irá garantir a construção de uma novíssima rede de fibra ótica para interligar todas as unidades administrativas municipais. 


Ainda na área de tecnologia da informação será criada a Central de Inteligência e Monitoramento de Indicadores, esta que irá apoiar com dados e informações estratégicas todas as áreas da administração municipal. No local estarão reunidos o Centro de Controle Integrado da Agência Municipal de Transporte e Trânsito, o Centro de Controle Operacional da Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social, a Sala da Gestão Municipal, a Central de Projetos e a sede da Agetec.


Os investimentos em uma rede de fibra ótica vêm para consagrar o já iniciado projeto de transformação digital implantado na Capital nos últimos três anos, com a criação do Conecta Campo Grande. 


As possibilidades de uma rede de alta velocidade vão desde a expansão na oferta de um sinal de internet de qualidade para muito mais locais, a redução da quantidade de equipamentos que utilizam energia para transmissão dos dados, a ampliação na oferta de serviços digitais, a possibilidade de expansão do vídeomonitoramento para todas as localidades, além da economia gerada pela transformação de processos físicos em digitais, refletindo também em transparência nos processos públicos. 


“O crescimento de uma cidade pode ser medido pelo desenvolvimento dos diversos setores e passa pela maior e melhor ofertas dos serviços entregues para a população. A tecnologia tem papel importante na construção de uma cidade próspera e preparada para os próximos anos e, neste sentido Campo Grande já demonstra que está preparada para os próximos anos”, justifica Paulo Cardoso. 

©DIVULGAÇÃO


SECOM

Tecnologia do Blogger.