Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

“Acabei de meter a faca nela todinha”, diz jovem que matou vizinha em quitinete

Bruna Fernanda Cardena de Magalhães, 23 anos, foi presa em flagrante e passará por audiência de custódia amanhã

Hoje de manhã ainda era possível encontrar manchas de sangue na calçada ©Henrique Kawaminami
A faxineira Sandra Aparecida Souza Mendes, 51 anos, foi assassinada com pelo menos sete facadas após discussão durante bebedeira. A suspeita, Bruna Fernanda Cardena de Magalhães, 23 anos, que também ficou ferida durante a confusão, foi presa em flagrante enquanto recebia atendimento médico numa unidade saúde da região. O caso aconteceu na noite de ontem (1), numa quitinete, na Rua Brigadeiro Tobias, no Bairro Taquarussu, em Campo Grande.

A reportagem esteve na manhã desta quarta-feira (2) no local e encontrou janelas quebradas, manchas de sangue na calçada e várias garrafas de cerveja quebradas. Segundo os vizinhos, Sandra e Bruna consumiam bebida alcoólica juntas desde o período da tarde, quando se desentenderam e passaram a discutir. As duas, segundo relatos, sempre bebiam juntas, mas no final acabavam discutindo.
Janela da casa da vítima foi quebrada pela autora ©Henrique Kawaminami
Bruna chegou a quebrar a janela da casa da colega. As duas se armaram com facas e se agrediram. Sandra foi ferida com pelo menos sete facadas e morreu no local. Bruna sofreu ferimentos no rosto, foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ao posto de saúde e acabou presa em flagrante por equipes da Guarda Civil Metropolitana. A filha de Bruna de 7 anos estava no local no momento da confusão, mas não chegou a presenciar o crime, conforme o delegado que atendeu a ocorrência Nilson Friedrich.

Antes de ser presa, Bruna chegou a mandar um áudio para a irmã de 16 anos ir buscá-la. “Vem me pegar em casa agora. A mulher está morrendo aqui. Acabei de meter a faca nela todinha. Eu quero ir embora. Pelo amor de Deus”. A irmã disse que só ouviu o áudio nesta manhã. A filha de Bruna ficou aos cuidados da companheira dela e hoje de manhã foi para a casa da tia. Tanto a suspeita quanto a vítima moravam há pouco mais de seis meses no local. Segundo uma testemunha, Sandra era gente boa e chegou a morar nas ruas, na região da rodoviária.
Pedaços de garrafas de cerveja ficaram espalhados pelo local ©Henrique kawaminami


Fonte: CAMPO GRANDE NEWS
Por: Viviane Oliveira
Tecnologia do Blogger.