Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

PANDEMIA| Caarapó registra 1ª morte por Covid-19

1ª vítima fatal por Covid-19 de Caarapó é um ancião de 87 anos

©ILUSTRAÇÃO
O município de Caarapó registrou na manhã desta quarta-feira (5) o primeiro óbito por Covid-19, segundo informou o Comitê Municipal de Prevenção e Combate ao Novo Coronavírus. Trata-se de um idoso de 87 anos residente na cidade, que já apresentava comorbidades: hipertensão, diabetes, cardiopatia e pneumopatia.

O ancião deu entrada no hospital de Caarapó no último dia 27 com quadro clínico de dispneia e esforço respiratório, já considerado como SRAG (Síndrome Respiratória Aguda), com nível de saturação de oxigênio abaixo de 93%. O paciente foi estabilizado pela equipe de plantão e, em seguida, foi solicitada vaga para transferência, que ocorreu no mesmo dia para uma unidade hospitalar mais avançada na cidade de Dourados.

Ainda em Caarapó, o paciente foi diagnosticado com Covid-19, por meio de teste rápido. Em Dourados, foi realizada coleta de RP PCR, com resultado positivo para a doença.

O óbito do cidadão caarapoense ocorreu às 2h40 desta quarta-feira no hospital onde estava internado em Dourados.

O médico Silvio Ueda, presidente do Comitê de Combate à Covid-19 de Caarapó, disse que, diante do óbito o idoso, “o nosso maior medo e preocupação aconteceu. Mais uma vida foi ceifada por essa terrível doença. Pedimos que a população aumente os níveis de proteção, pois o vírus está aí e pode fazer muitas vítimas fatais”.

O prefeito André Nezzi (PSDB), ao ser informado da morte do caarapoense, lamentou o ocorrido. “Infelizmente, é uma doença perigosa que está ceifando a vida de muita gente mundo afora e sabíamos que poderia ocorrer com gente daqui”, disse o mandatário. “As nossas condolências à família, que Deus conforte o coração de todos”, acrescentou.

O dirigente reforça a necessidade da observância das medidas de prevenção preconizadas pelas autoridades sanitárias, como o reforço dos hábitos de higiene, uso constante de máscara para quem sair de casa e isolamento domiciliar. “Precisamos conter essa doença, e isso só será possível se todos tomarem consciência de que a prevenção é absolutamente necessária”, concluiu.

ASSECOM
Tecnologia do Blogger.