Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

"É preciso apostar nos funcionários efetivos do Hospital Regional”, afirma Kemp

Kemp acredita que o Hospital Regional pode se equilibrar com a atual gestão
Preocupado com a possibilidade do Hospital Regional de Campo Grande (HR) ter em sua gestão o modelo das Organizações Sociais (O.S.), uma terceirização, o deputado estadual Pedro Kemp (PT), membro da Comissão Permanente de Saúde da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), subiu à tribuna nesta quarta-feira (2) para falar da visita in loco feita ontem. “Conversei com o diretor administrativo financeiro da instituição e fiquei otimista. Os relatos de Rehder dos Santos Batista apontaram que com o recurso de 2 milhões a mais recebidos do Estado e a gestão participativa dos funcionários do HR, até o final do ano as finanças do hospital serão equilibradas”, registrou o parlamentar.

Pedro Kemp lembrou que, na audiência pública realizada no final de agosto na Casa de Leis, o secretário de Estado de Saúde (SES), Geraldo Rezende, defendeu a necessidade de avaliar a mudança do modelo de gestão. “Não há porque o governo do Estado pensar em terceirizar neste momento a gestão do Hospital Regional. Nós percebemos que apostando nas equipes de profissionais efetivos e qualificados do hospital, e o Executivo complementando com recursos o Hospital Regional fará um atendimento ideal à população”, declarou.

Kemp também questionou o custo do Hospital Regional ao Estado, já que é afirmado que gira em torno de R$ 30 milhões de reais, e o informado no Portal da Transparência do Estado é diferente. “Os dados que o Portal da Transparência trazem são divergentes e menores do que o informado pela Secretaria de Saúde, é preciso analisar isso e apostar e acreditar no quadro efetivo do Regional que agora estão empenhados, inclusive reformando o andar da maternidade, por conta própria para oferecer um melhor atendimento. Também constatei que apesar da demanda enorme, as pessoas que chegam lá, na urgência, são bem atendidas, mesmo com a superlotação da sala. O Hospital Regional é um hospital público de referência em varais especialidades de média e alta complexidade de qualidade que atende as pessoas da capital e do interior em suas necessidades”, concluiu.
O líder do governo na Casa de Leis, Barbosinha, em aparte à Kemp
O deputado Barbosinha (DEM), líder do governo na Casa de Leis, falou das dificuldades enfrentadas pelas gestões anteriores do Hospital Regional (HR). “Dificuldades temos e mudanças podemos fazer, estamos ouvindo um relato diferente agora no encaminhamento destas questões, já eu não basta apenas aumento de recursos por parte do Estado. Recebemos essas informações hoje, ainda há divergências de valores a serem analisadas. Estamos encontrando um caminho, precisamos mostrar que esse modelo e empoderamento que existe pode ser devolvido em política de saúde à população”, relatou.

Por: Christiane Mesquita
Tecnologia do Blogger.