Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

PTB confirma filiação e quer Delcídio na disputa pela prefeitura da Capital

©ARQUIVO
O PTB tem como certa a filiação de Delcídio do Amaral e já fala em briga pela prefeitura de Campo Grande no próximo ano. O presidente regional do partido, Neno Razuk, diz que o ex-senador está em tratamento de saúde em São Paulo, mas assim que retornar a Mato Grosso do Sul, haverá uma solenidade para oficializar a entrada dele no PTB.

O objetivo do partido é lançar Delcídio como candidato a prefeito da Capital em 2020. “É um político experiente, que tem uma história e está voltando para política", justificou Neno Razuk.

No ano passado, Delcídio tentou o Senado pelo PTC. Na época informou à Justiça Eleitoral patrimônio de R$ 4,1 milhões. O projeto acabou barrado pela Justiça Eleitoral, que sustentou a validade da cassação pelo plenário. Mesmo assim, ele ficou em sétimo lugar, recebendo mais de 109 mil votos.

Ele foi cassado em maio de 2016, por unanimidade pelo plenário do Senado, por quebra de decoro, diante das suspeitas de articular um plano de fuga para Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, a fim de evitar a delação dele. Mas na Justiça Federal, as suspeitas não foram consideradas fundamentadas.

Mesmo assim, o ex-líder do governo Dilma Roussef é acusado de ter recebido US$ 1 milhão de Nestor Cerveró como então diretor da Petrobras. Delcídio conseguiu benefícios da delação premiada sobre a operação Lava Jato, e havia sido condenado a prestar serviços comunitários à entidade Casa da Criança Peniel, em Campo Grande.

Teria de ficar 7 horas por semana na ONG, por apenas seis meses, mas recorreu, alegando que isso prejudicaria sua dedicação à fazenda da família, de 8 mil hectares, no Pantanal. No fim de 2018, a defesa solicitou que a pena alternativa seja substituída por multa em dinheiro.

Outros nomes - A pouco mais de um ano para as eleições municipais, vários nomes surgem como possíveis candidatos em 2020 à prefeitura de Campo Grande.

O deputado estadual Márcio Fernandes pode defender o MDB. Ele já declarou que deveria ter concorrido nas eleições passadas, só que resolveu esperar 2020.

Jamílson Name é apresentado como possível candidato do PDT, mas o partido também tem como alternativa o juiz Odilon de Oliveira, derrotado nas eleições para governo no ano passado.

O estreante na briga pode ser o deputado estadual Renan Contar, pelo partido do presidente Jair Bolsonaro, o PSL. Colega dele na Assembleia, Cabo Almi também colocou nome à disposição do PT.

Fonte: campograndenews
Por: Ângela Kempfer e Leonardo Rocha.

Tecnologia do Blogger.