Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Deputado Marçal Filho cobra implantação efetiva do Sisfron nas fronteiras de MS

©DIVULGAÇÃO/ALMS
O deputado Marçal Filho (PSDB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, nesta quarta-feira (20), para chamar atenção para a importância da implantação efetiva do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron) no Estado. O parlamentar alegou que apesar do lançamento do sistema em MS não houve diminuição dos índices de violência e atuação dos grupos de crime organizado.

“O número de homicídios é crescente principalmente na faixa de fronteira de Ponta Porã com Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Em Dourados, também teve aumento de assaltos e homicídios. O Governo Federal tem que dar parcela de contribuição efetiva para a soberania do país. Há muito tempo foi lançado o Sisfron, mas temos assistido que isso não passou de planos, não saiu do papel”, enfatizou.

O parlamentar alegou que a sensação de insegurança tem tomado conta das cidades da fronteira ou próximas a ela e enfatizou a importância do Sisfron. “O sistema é fantástico, mas que ainda não cumpriu seu papel na sua totalidade. Com o Sisfron a vida do crime organizado ficaria mais difícil. Mais de 23 mil quilômetros de rodovias em região de fronteira ficariam mais seguras. O serviço de inteligência é de importância fundamental. Essa sensação de insegurança acaba por refletir na nossa balança comercial, pois as notícias que saem no exterior é que Brasil é um país sem segurança e isso afasta, por exemplo, o aumento do turismo”, disse.

Em aparte, o deputado Capitão Contar falou que o assunto está sendo debatido em Brasília. “Quero deixar registrado que é uma pena que os governos anteriores não deram a devida importância a esse projeto. Esse apelo já está sendo falado em Brasília”, afirmou.

Violência nas escolas – O deputado Marçal Filho ainda falou sobre os assassinatos ocorridos na escola de Suzano, em São Paulo. Para o parlamentar, as redes sociais contribuem para a realização desse tipo de ataque. “Não é plausível alegar que a condição social levou a isso. Queria explorar a questão das redes sociais que vêm disponibilizando formas violentas de atuar como se isso fosse positivo. O maior perigo das redes é que pessoas que têm psicopatia estão se reunindo. Imagina quando essas pessoas, com auto poder de destruição, se encontram. Os pais devem cuidar muito com que os filhos estão assistindo. Se não houver cuidado podemos chegar a fatos tristes como esse”, refletiu.

O deputado destacou a importância de atendimento psicológico nas escolas. “Todas as escolas precisam ter psicólogos. Isso é muito importante, um grito de socorro. Precisamos de pessoas preparadas para antever e prevenir tragédias como essas. O Poder Público tem que se atentar, o transtorno mental é um assunto muito relevante”, disse.

Por: Evellyn Abelha
Tecnologia do Blogger.