Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

‘Bolsonaro está surpreso’: diz Bivar sobre viagem de deputados e Soraya à China

Senadora e deputado federal eleitos em MS estão em comitiva no país asiático

Jair Bolsonaro e Luciano Bivar, presidente do PSL ©DIVULGAÇÃO/PSL
Presidente nacional do PSL, o deputado federal Luciano Bivar, afirmou nesta quinta-feira (17) que o presidente da República, Jair Bolsonaro, ficou “surpreso” com a viagem de deputados do PSL à China. Na comitiva estão a senadora Soraya Thronicke e o deputado federal Tio Trutis, ambos de Mato Grosso do Sul.

A maioria dos parlamentares forma a bancada do PSL e foram convidados pelo governo chinês para conhecer o sistema de reconhecimento facial, através de câmeras em locais públicos, que poderá ser utilizado no Brasil. Eles foram convidados pelos chineses com todas as despesas pagas.

A viagem, no entanto, gerou críticas e mal-estar entre aliados do presidente, como o “guru” Olavo de Carvalho, que mora nos EUA.

Em vídeo publicado em seu canal no Youtube, Olavo chamou de “semianalfabetos” os membros da comitiva. Além de Soraya Thronicke e Tio Trutis, também fazem parte do grupo os deputados Carla Zambelli, Daniel Silveira, Junior Bozzella, Felício Laterça, Bibo Nunes, Charlles Evangelista, Marcelo Freitas, Sargento Gurgel, do PSL, e Luís Miranda, do DEM e Alexandre Serfiotis (PSD).

Em entrevista à jornalista Andréia Sadi, do portal G1, Luciano Bivar disse que Bolsonaro se surpreendeu com a visita dos deputados do seu partido ao país.

“Quando Carla Zambeli [deputada federal eleita] me disse que ia para a China, eu disse: para a China? Não estava sabendo. Ontem, falei por telefone com o presidente Bolsonaro e ele me disse: poxa, Bivar: o pessoal precisa saber que existe uma responsabilidade em ser do PSL, que somos vidraças, que tudo reverbera em cima de nós”, contou Bivar à repórter do G1.

O presidente do PSL disse que recusou o convite da embaixada chinesa para uma viagem no período eleitoral e que, recentemente, esteve com o embaixador em Brasília, após a vitória de Bolsonaro. No encontro, transmitiu mensagem de que Bolsonaro gostaria de fazer uma viagem à China, mas que ainda seria marcada.

A China é o principal parceiro comercial do Brasil. O comércio bilateral entre os dois países foi de US$ 75 bilhões no ano passado, de acordo com estatísticas do governo brasileiro.

Durante as eleições, Bolsonaro fez críticas ao país. Em novembro, o editorial do jornal estatal chinês alertou sobre o custo econômico de Bolsonaro querer ser um “Trump tropical” e romper acordos comerciais.

Bivar disse que, durante seu encontro com o embaixador, no fim de 2018, o mal-estar foi superado.

Fonte: Midiamax
Por: Richelieu Pereira
Tecnologia do Blogger.