Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Entregador é preso durante operação contra tráfico de armas

Em Mato Grosso do Sul, policiais do Garras (Delegacia de Repressão de Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e PRF cumprem quatro mandados de prisão e seis de busca e apreensão

Movimentação das equipes no Garras ©Henrique Kawaminami
Um entregador, de 45 anos, foi preso na manhã desta segunda-feira (3) em Campo Grande durante operação conjunta entre as policiais civis e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) do Rio de Janeiro e do Mato Grosso do Sul em combate ao tráfico de armas. A ação é para cumprir 37 mandados nos dois estados, contra quadrilhas que fazem a conexão entre um estado e outro para o transporte de armas usadas pelo crime organizado.

O suspeito já preso é um dos alvos da operação com mandado de prisão por participação na quadrilha responsável pelo envio de milhares de munições e centenas de armas de fogo do Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro. O entregador, que já tem passagem por receptação, foi preso no local em que trabalha, no bairro São Francisco.

As equipes cumpriram ainda mandado de busca e apreensão na casa em que ele mora, no Parque do Lageado. Em Mato Grosso do Sul, policiais do Garras (Delegacia de Repressão de Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e PRF cumprem quatro mandados de prisão e seis de busca e apreensão em Campo Grande e Bandeirantes. 

Conforme o delegado João Paulo Sartori, do Garras, em Campo Grande já foram cumpridos todos os mandados de busca, mas nada de ilícito foi encontrado nos endereço. Os outros alvos da operação são procurados pelos policiais.

Outros 13 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão são cumpridos no estado carioca. A operação é resultado de uma investigação de um ano da Desarme (Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos) do Rio de Janeiro.

A investigação identificou e indiciou cerca de vinte pessoas que fazem parte de uma grande organização criminosa que atua em diversos estados do país. Segundo a polícia, nos últimos meses a quadrilha foi responsável pelo envio de milhares de munições e centenas de armas de fogo do Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro.

O arsenal tinha como destino comunidades controladas por uma das maiores milícias e traficantes de drogas da capital carioca. Durante um ano, a Polícia Civil e a PRF conseguiram vincular ao grupo criminoso diversas apreensões. São empregados na ação 100 agentes da Polícia Civil e 50 PRFs no Estado do Rio de Janeiro, além de 30 Policiais Civis e 30 PRFs no Mato Grosso do Sul.

Fonte: campograndenews
Por: Geisy Garnes e Bruna Pasche
Tecnologia do Blogger.