Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Vereadores defendem aumento dos limites de velocidade na Capital

Parlamentares também criticaram instalação de novos radares por fomentarem “indústria da multa” em Campo Grande

Câmara Municipal durante sessão desta terça-feira ©Daniele Valentim 
Durante a sessão desta terça-feira (13) na Câmara Municipal, vereadores questionaram o limite de velocidade permitido no trânsito da Capital. Hoje, 50 km/h é o máximo permitido, mas para os vereadores Vinicius Siqueira (DEM) e André Salineiro (PSDB), é necessário acompanhar o código nacional de trânsito e aumentar a velocidade para 80km/h.

Vinicius Siqueira criticou a licitação dos radares. Para ele, a cidade ganhou um “presente de natal” indesejado: 230 radares instalados na cidade. Segundo ele, Campo Grande deve respeitar o limite de velocidade e não fomentar a “indústria da multa”.

O parlamentar destacou que a cidade não segue o código de trânsito, que permite velocidade de 80 km/h em vias rápidas. “Por exemplo, a via do aeroporto em que são permitidos 50km/h”, comentou. Para ele, as normas devem seguir o código e não a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

O vereador André Salineiro propôs a criação de uma comissão para investigar o contrato que adquiriu os radares. “Alguns radares chamam a atenção pelos locais. Essa licitação foi fechada a R$ 15,4 milhões para a prefeitura pagar”, afirmou.

O parlamentar ainda citou a cidade de São Paulo como exemplo. Para ele, a medida aprovada pelo ex-prefeito Fernando Haddad (PT) que reduziu a velocidade da marginal para 70 km/h foi uma “aberração”. “O Haddad fez uma aberração em São Paulo e diminuiu a velocidade da via e aumentou a arrecadação por meio das muitas”, comentou.

Para o vereador Otávio Trad (PTB), é necessário um estudo prévio antes de qualquer mudança. Ele também rebateu críticas feitas pelo vereador Vinicius Siqueira sobre a falta de diálogo da Prefeitura de Campo Grande com a Câmara. “Antes de jogar assuntos na plateia, é preciso mais relação com a prefeitura. Você tem que saber ouvir antes de tentar diminuir um trabalho. Um trabalho sério que o Janine [diretor presidente da Agetran] está fazendo e que está surtindo efeito”, comentou.

Fonte: campograndenews
Por: Izabela Sanchez e Danielle Valentim
Tecnologia do Blogger.