Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Com apoio do SENAI, empresa desenvolve projetos tecnológicos no MS

©Divulgação
A quarta revolução industrial, conhecida como Indústria 4.0, tem dado novas possibilidades de melhorar o desenvolvimento das empresas e facilitar o avanço das tecnologias. Neste intuito, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) lançou um Edital de Inovação, em parceria com o Serviço Social da Industria (SESI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Esse edital já selecionou mil empresas e projetos inovadores, desde 2004, e investiu cerca de R$545 milhões. Uma das empresas que foi contemplada pelo edital foi a Carandá Petroquímica, do Mato Grosso do Sul.

A empresa é especializada no gerenciamento de resíduos, ou seja, faz a coleta de materiais das indústrias, seleção, classificação e finalização. Os funcionários decidem se é necessária uma destruição térmica, ou se o material vai seguir para destilação.

O objetivo da empresa ao participar do processo de seleção era conseguir o apoio financeiro e de materiais dos Institutos SENAI de Inovação e dos Institutos SENAI de Tecnologia. A partir do momento que foram escolhidos, os gestores da empresa começaram a pesquisar e estudar formatos de inovação.

Sandro Assis, representante da Carandá, explica que a matéria-prima produzida na empresa é o serviço, e não produtos que vão para prateleiras. Ele afirma que a participação no Edital de Inovação foi importante para desenvolver de um jeito mais sustentável e tecnológico o trabalho realizado na empresa.

“O instituto (de inovação) tem equipamentos de altíssima qualidade que a gente consegue fazer alguns testes e análises das matérias-primas. Se não fosse o instituto nós não teríamos condições de desenvolver esse projeto”, explica Assis.

Instituto de Inovação

O Instituto SENAI de Inovação em Biomassa está entre os 58 espalhados pelo país, localizado em Três Lagoas desde 2017, foi o parceiro da empresa Carandá Petroquímica após a aprovação do edital. De acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Mato Grosso do Sul (FIEMS), essa parceria oferece à empresa o uso de laboratórios de ponta e o conhecimento dos pesquisadores, que contribuem para o crescimento da indústria local.

A diretora do Instituto, Carolina Andrade, explica que o Edital de Inovação investe em projetos de acordo com a demanda procurada pela indústria. “O que a gente faz é ajudar as empresas a desenvolver tecnologias que ajudem na obtenção de novas fontes de energia a partir de produtos renováveis”, explica.

A FIEMS projetou, no ano de lançamento do Instituto, que até 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) industrial de Três Lagoas será o dobro do segundo colocado. De acordo com a federação, enquanto Campo Grande é a capital do estado, Três Lagoas tem se consolidado como a capital da Indústria.

Fonte: Agência do Rádio Mais
Por: Sara Rodrigues
Tecnologia do Blogger.