Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

ELEIÇÕES 2018| Mochi leva a debate da Fetems proposta de valorização profissional da categoria e promete diálogo franco com servidores

Primeira ação em seu governo será uma reunião com o Fórum dos Servidores

©Divulgação
As propostas apresentadas pelo candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, Junior Mochi (MDB) para o setor da Educação foram aclamadas por uma plateia de servidores de todo o Estado que compareceram ao debate da Fetems (Federação dos Trabalhadores da Educação de Mato Grosso do Sul).

Além de apresentar propostas para valorização dos trabalhadores e promoção da Educação gratuita e de qualidade, Junior Mochi prometeu manter o diálogo com a categoria e, dessa forma construir coletivamente a gestão no setor.

Prontamente, o candidato disse que, caso seja eleito, vai incorporar o abono de R$ 200 aos servidores administrativos e garantir que ganhem acima do salário mínimo. Também vai manter a política de reposição salarial acima da inflação e com a recomposição de perdas para todo os servidores da Educação.

Atento à LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), Junior Mochi explicou aos ouvintes que é possível haver valorização da categoria dos servidores públicos, mesmo com a crise vivida pelo Estado atualmente. “O Estado passa por momentos difíceis, mas não há nada que não possa ser resolvido com diálogo. Vamos garantir o reajuste anual da inflação com ganho real para recuperar os percentuais perdidos. A minha primeira ação como governador, será atender ao Fórum Estadual dos Servidores”, adiantou.

Será na mesa de negociação com os servidores que Junior Mochi pretende construir uma política ampla para a correção das distorções salariais. “A valorização é necessária não só para o pessoal da Educação, mas para todos os servidores estaduais. Por isso, queremos implantar uma política que defina regras para os quatro anos de governo”, explicou.

Sem deixar de falar da necessidade de valorização do ensino e aprendizagem, Junior Mochi afirmou que, em seu governo, o eixo da Educação terá quatro olhares. “Gestão, infraestrutura e valorização profissional”, detalhou. Lembrando do período em que foi presidente da Comissão Estadual de Educação, o candidato afirmou que vai priorizar o cumprimento do Plano Estadual de Educação, convertido na Lei Estadual nº 4621, e com validade até 2024.

O candidato revelou a preocupação que o seu governo terá com a situação do transporte escolar. “O transporte escolar tem elevado custo e drena dinheiro da atividade fim. É preciso melhorar as condições do transporte porque, além de oneroso, da maneira como está estabelecido, interfere diretamente na aprendizagem do aluno, que sai às 4 horas da manhã”.

Mantendo elevado nível no debate, respondendo a todas as perguntas recebidas e sem atacar os adversários presentes ou ausentes, Junior Mochi agradou os servidores. “Ele não fugiu do debate”, avaliou o coordenador do Fórum dos Servidores Públicos de Mato Grosso do Sul.

Para a professora corumbaense Kátia de Carvalho, Mochi foi o que melhor conseguiu compreender a dinâmica do debate. “Foi o que se saiu melhor, ele é meu candidato a governador respondeu a todas as perguntas e jamais fugiu das respostas. Nada melhor do que mostrar a cara e apresentar as propostas para o eleitor. Isso o Junior fez muito bem”.

ASSECOM
Tecnologia do Blogger.