Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Deputado Dr. Paulo Siufi refuta livro infantil que incita crianças a cometer suicídio

O deputado informou que tomará todas as medidas que estiverem ao seu alcance para retirar a obra das livrarias do MS

©Luciana Nassar 
Amplamente discutido durante o Setembro Amarelo, o tema suicídio foi colocado em pauta novamente esta manhã, 26, na Assembleia Legislativa. O deputado estadual Dr. Paulo Siufi (MDB), que é médico-pediatra e presidente da Comissão Permanente de Saúde da ALMS, usou a tribuna para mostrar sua indignação perante o livro O Menino que Espiava para Dentro (Global Editora), de Ana Maria Machado.

O livro conta a história de um menino que gosta de usar a imaginação para ir para um universo mágico. A sinopse disponível no site da editora descreve que ele tem um amigo imaginário que diz a ele que, ao comer a “maçã do sono profundo”, o menino será capaz de andar sobre ondas, morar em conchas, voar pelos ares, e outras coisas que crianças sonham em fazer. Para o presidente da Comissão de Saúde, a autora apropriou-se de uma história clássica infantil, deturpando a ação de comer a maçã ao ensinar as crianças como cometer suicídio por asfixia.

“Em tempos de debate e ações para prevenção do suicídio, me deparo com esse livro, que induz claramente as crianças a tirarem suas próprias vidas. E o que é mais preocupante: ele tem que engasgar-se com um pedaço de maçã na hora de dormir, longe dos pais, para não dar tempo deles darem um tapa nas costas do menino e estragarem o plano”, ressaltou Siufi.

Na tribuna, o deputado leu o trecho do livro que considera perigoso para as crianças. “A autora do livro e a editora se defenderam afirmando que os pais devem ler antes, ler junto com a criança, saber ler entrelinhas e certificarem-se de que a criança entendeu o sentido e a mensagem da história. Onde estamos? Onde estão os valores?”, indagou.

Contando com o apoio de outros parlamentares, o deputado informou que tomará todas as medidas que estiverem ao seu alcance para retirar a obra das livrarias. “Vou protocolar documento ao Ministério Público e à Vara da Infância e Juventude, pedindo para que eles impeçam a circulação desse livro aqui no Mato Grosso do Sul. Já somos o segundo Estado em número de suicídio. Precisamos fazer algo. Não podemos ficar calados. Temos que defender as crianças, que são mais vulneráveis, e monitorar essas situações de perigo”, finalizou Dr. Paulo Siufi.

Fonte: ASSECOM
Por: Adriana Viana 
Tecnologia do Blogger.