Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

Em 7 meses, indústria de MS gera saldo positivo de 1,6 mil postos de trabalho

©Divulgação 
O setor industrial de Mato Grosso do Sul, que é composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, já registra saldo positivo de 1.626 novos postos de trabalho no período de janeiro a julho deste ano, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Apenas no mês de julho, o saldo positivo é de 168 vagas, resultado de 4.781 contratações e 4.613 demissões.

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, enquanto no mês de julho os maiores saldos foram nas indústrias de alimentos e bebidas (+160), extração de minerais (+68) e indústria metalúrgica (+47), nos primeiros sete meses deste ano os maiores saldos foram na indústria química (+1.036), indústria da construção (+424) e indústria metalúrgica (+167).

“O conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou o mês de julho de 2018 com 121.632 trabalhadores empregados, indicando elevação de 0,12% em relação a junho, quando o contingente ficou em 121.484 funcionários. Atualmente, a atividade industrial responde por 19,1% de todo o emprego formal existente no Estado, ficando atrás dos setores de serviços, que emprega 194.315 e tem participação de 30,5%, comércio, com 125.556 empregados ou 19,7%, e administração pública, com 122.470 empregados ou 19,2%”, detalhou Ezequiel Resende.

Detalhamento

Em Mato Grosso do Sul, de janeiro a julho, 113 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 4.354 vagas. Entre as atividades industriais com saldo positivo de pelo menos 60 vagas destacam-se fabricação de álcool (+1.053), construção de edifícios (+616), obras de engenharia civil não especificadas anteriormente (+367), fabricação de açúcar em bruto (+190) e fabricação de produtos de carne (+160).

Por outro lado, 91 atividades industriais apresentaram saldo negativo em Mato Grosso do Sul, provocando o fechamento de 2.728 vagas. Entre as atividades industriais com saldo negativo de pelo menos 60 vagas estão construção de rodovias e ferrovias (-387), obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (-338), abate de reses, exceto suínos (-306), montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas (-211) e abate de suínos, aves e outros pequenos animais (-143).

Em relação aos municípios, constata-se que em 49 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação de janeiro a julho de 2018, proporcionando a abertura de 3.676 vagas, com destaque para Campo Grande (+1.298), Naviraí (+472), Ponta Porã (+197), Aparecida do Taboado (+181), Maracaju (+129), Nioaque (+118), Rio Brilhante (+117), Eldorado (+112), Paranaíba (+93), Chapadão do Sul (+79), Amambai (+78), Costa Rica (+77), Itaquiraí (+75) e Nova Andradina (+60). Por outro lado, em 24 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, proporcionando a fechamento de 2.050 vagas, sobressaindo Três Lagoas (-691), Cassilândia (-480), Angélica (-208), São Gabriel do Oeste (-130), Corumbá (-117), Dourados (-115), Bataguassu (-110) e Água Clara (-54).

ASSECOM
Tecnologia do Blogger.