Header Ads

LEIA TAMBÉM
recent

ELEIÇÕES 2018| Confira quem são: dos 6 candidatos ao cargo de vice-governador, 2 são milionários

Murilo, Tânia, Vitor, Bernardelli, Luciene e Dina disputam a vice-governadoria
Atualmente quatro mulheres e dois homens concorrem ao cargo de vice-governador, sendo dois milionários entre os postulantes. Apesar de historicamente só ocupar o posto de Chefe do Executivo em eventuais vacâncias, como férias ou viagens ao exterior, a figura do vice acabou ganhando importância no cenário recente da política. O atual presidente da República foi eleito vice, e em Campo Grande, um vice-prefeito chegou a ocupar o Paço durante boa parte do último mandato.

Com maior patrimônio declarado entre os seis postulantes, Murilo Zauith (DEM), já ocupou o cargo de vice-governador, entre 2007 a 2010, durante o 1º mandato de André Puccinelli (MDB). Ele também já foi prefeito de Dourados, entre 2011 a 2016.

À Justiça Eleitoral ele declarou um patrimônio de R$ 12,4 milhões, que inclui desde crédito decorrente de empréstimo a quotas de capital, bens imóveis e veículos. Em 2018 ele integra a chapa encabeçada por Reinaldo Azambuja (PSDB).

A ex-secretária estadual de assistência social, também na gestão Puccinelli, Tânia Garib (MDB), é a candidata a vice-governadora na chapa de seu partido, encabeçada pelo deputado estadual Junior Mochi.

Tânia, que se registrou no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) como ‘aposentada’, também declarou um patrimônio milionário, de pouco mais de R$ 3 milhões, sendo a maioria deste montante, R$ 2,5 milhões, em aplicações de renda fixa.

A candidata do PSOL, Diná Freitas, que completa a chapa pura da legenda ao lado de João Alfredo Danieze, declarou à Justiça um patrimônio de R$ 144 mil, fruto de ‘bens imóveis’.

Quarta no ranking de patrimônio declarado está a candidata do REDE, Ana Maria Bernardelli, professora de ensino médio, que completa a chapa de Marcelo Bluma (PV), que declarou apenas um veículo avaliado em R$ 33 mil.

A candidata do PT, Doutora Luciene, nome de urna da advogada Luciene Maria da Silva, declarou depósito bancário e poupança que somam R$ 8,9 mil. Ela é a vice na chapa encabeçada por Humberto Amaducci (PT).

Único que não apresentou à Justiça Eleitora nenhum bem, foi o candidato a vice-governador na chapa de Odilon de Oliveira (PDT), o bispo Marcos Vitor (PRB), cuja ocupação informada foi de ‘Sacerdote ou Membro de Ordem ou Seita Religiosa’, já que é vinculado à Igreja Evangélica Sara Nossa Terra.

Fonte: Midiamax
Por: Ludyney Moura
Tecnologia do Blogger.